Escreva para pesquisar

AMÉRICAS SAÚDE / SCI / TECNOLOGIA

Novo estudo associa morte por câncer de cólon ao aumento do uso de pesticidas no Brasil

(Imagem via Pixabay)

Vinte por cento das culturas colhidas no Brasil entre a 2013 e a 2015 não eram seguras para o consumo humano, devido à alta concentração de pesticidas.

Um estudo brasileiro publicado na revista Quimiosfera Links mortes por câncer de cólon ao uso de pesticidas. A pesquisa descobriu que quanto mais pessoas usam pesticidas, mais elas se desenvolvem e morrem de câncer de cólon. Pesquisadores brasileiros, alemães e britânicos descobriram que entre 2000 e 2012, a incidência crescente de câncer de cólon está correlacionada com o crescente uso de pesticidas no país latino-americano.

"Os resultados mostram uma forte ligação [entre pesticidas e mortalidade por câncer de cólon] e, como tal, não podem ser ignorados" disse co-autor Francis Martin, baseado na Faculdade de Farmácia e Ciências Biomédicas da Universidade de Central Lancashire. "Agora, é fundamental determinar se [a exposição a pesticidas] tem o potencial de transformar células normais em células cancerígenas atuando como disruptores endócrinos ou danificando o DNA".

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ​​publicou dados sugerindo que mais de 162 milhões de toneladas de pesticidas foram vendidos no Brasil na 2000. Mas esse número saltou para cerca de 476 milhões de toneladas no 2012. Neste período de dois anos, o Ministério da Saúde do Brasil estabeleceu que as mortes por câncer de cólon aumentaram de 946,686 para mais de um milhão, apesar do progresso no tratamento e diagnóstico do câncer.

Leite materno humano e animal no Brasil agora contém vestígios de pesticidas

Os pesquisadores dizem que os pesticidas envenenam as plantações e a água potável, envenenando ainda mais as pessoas e o gado que dependem dessas culturas para alimentos e água para beber.

Os cientistas detectaram altos níveis de pesticidas no leite materno de animais e humanos no Brasil nos últimos anos. Um dos autores do estudo, Vinicius Kannen, patologista da Universidade de São Paulo, revelou que a quantidade de agrotóxicos no leite materno bovino e humano ultrapassou os padrões de segurança em várias regiões brasileiras.

Kannen se baseou em dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Os dados estabelecidos Por cento 20 de culturas colhidas entre 2013 e 2015 no país não eram seguras para consumo humano por causa de uma alta concentração de pesticidas.

Francis Martin, da Escola de Farmácia e Ciências Biomédicas da Universidade Central de Lancashire, observou que os pesquisadores devem determinar se a exposição a pesticidas pode invariavelmente danificar o DNA ou perturbar as funções das glândulas endócrinas transformando células normais do corpo em células cancerígenas.

A maioria dos pesticidas usados ​​no Brasil são altamente tóxicos e proibidos na Europa

O uso de pesticidas no Brasil representa 20 por cento do mercado global, com cerca de US $ 10 bilhões em pesticidas comercializados no país anualmente. As regulamentações oficiais sobre a qualidade e uso de pesticidas no Brasil são muito precárias. Larissa Bombardi da Universidade de São Paulo disse SciDev.net que a maioria dos pesticidas e produtos químicos relacionados vendidos no Brasil foram proibidos na Europa devido à alta toxicidade.

O Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ​​do Brasil observou que, apenas no ano passado, 540,000 toneladas de pesticidas foram utilizados no país, o dobro da taxa utilizada no 2010. No entanto, os legisladores brasileiros apresentaram em junho uma lei apelidada de “pacote venenoso” que visa acelerar o processo de revisão e aprovação de pesticidas e a aprovação dos atuais cinco a oito anos.

Apoie notícias independentes, receba nossa newsletter três vezes por semana.

Tags:

Você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.